(des)Humanização Digital

21 de janeiro de 2020 - Antonio Romano

Você deve estar acompanhando as mídias especializadas mostrando que a Transformação Digital virou a página da vez! Empresas que nunca estiveram próximas ao tema (mas somente da tecnologia), abraçaram a causa! A mesma relação aconteceu com as pessoas. Quem nunca esteve familiarizado com o assunto, sim…., também abraçou a causa!

Provavelmente isto já ocorreu há algum tempo. Vamos lembrar juntos?

Lembra do lançamento do ERP (Enterprise Resource Planning)? Este é aquele programa de computador que tinha a proposta de integrar tudo: desde o financeiro até a produção em uma empresa; onde havia um efeito Roberto Carlos “…daqui pra frente, tudo vai ser diferente…”

E o que ocorreu após isto? Sim, uma revolução, mas não a promessa inicial de que todos os processos funcionariam 100%, que tudo na empresa se encaixaria bem.

Outro assunto que tomou a mídia especializada foi o Bug do Milênio. Lembra? Tudo deveria parar naquele momento crucial da virada do milênio, onde até aviões deveriam despencar dos céus, elevadores idem, telefones, sistemas, bancos… tudo iria parar!! Enfim, um caos. Aconteceu?

Bom, se você me emprestar uma pá, poderei cavar mais e mais e voltar ao início da internet, quando os “especialistas” disseram que o rádio acabaria por conta da internet. Acabou? Também disseram muitas coisas sobre os livros.

Ah, os livros… eles que já foram quase que literalmente crucificados por serem acusados de destruidores de igrejas, pois substituiriam a forma de se passar conhecimento até então – que eram os murais presentes nas igrejas. Tanto os livros quanto as igrejas vão muito bem, obrigado!

O que dizer então, após este paralelo, sobre a Transformação Digital? Ela veio para mudar tudo. Daqui a alguns meses diremos que tudo não passou de uma “viagem” como nos temas anteriores refletidos neste artigo?

A minha opinião? Sim, eu acho que a Transformação Digital veio para ficar. Ela é uma Transformação Digital e Transformação Humana ao mesmo tempo. Entendo que as duas andam juntas e deverão produzir resultados fabulosos para a humanidade. Eu repito… para a humanidade!

Vivemos em um período onde estamos (des)Humanizando nossas relações em nome da aplicação da tecnologia.

Nossos comportamentos estão se tornando totalmente autônomos e, na busca da perfeição, estamos dizendo aos quatro ventos (são quatro mesmo!!) que os humanos nos remetem aos erros e perdas. Deveríamos então, substituir motoristas por carros 100% autônomos. Achamos isto muito legal, dizer que entramos em um carro autônomo, sem ninguém para conversar. Isto é um SONHO, não é? Só que não!

Vivemos em um mundo onde ter uma loja sem ninguém para nos atender, ou como alguns dizem, sem ninguém para “encher a nossa paciência” tornou-se um Nirvana! As pessoas estão contentes e acham cool não ter ninguém, (absolutamente ninguém) em seu caminho.

A tecnologia veio para nos ajudar e servir. Este dilema é antigo, mas em lugar algum veio escrito que não deveria ser humanizada.

Veja: no sentido geral do tema, a Tecnologia não é a vilã! Ela veio até aqui para nos ajudar e nos transformar (digital e humanamente falando). Então, cabem as perguntas: por que queremos tanto eliminar a interface humana? Por que queremos simplesmente retirar o elemento humano da história? Em todos os momentos em que isto ocorreu a própria história mostrou que não funcionou!

Projetos de Tecnologia deveriam conter uma fase chamada: Humanização Digital! Onde haveria a transição de hábitos, comportamentos e competências dos colaboradores atuais para o novo modelo! Não simplesmente descartar o humano, descartar o conhecimento, descartar a experiência! Pense nisso!!!

Ah, antes que você me pergunte: desumanizar ou (des)Humanizar? Fica a seu critério!

Saiba como otimizar o fluxo de trabalho da sua empresa de advocacia ou depto jurídico.